nucleo-4

Núcleo de Prática Jurídica da Unifoz democratiza acesso à Justiça

O Núcleo de Práticas Jurídicas da UNIFOZ – NPJ/UNIFOZ, presta desde 1997, quando foi criado, verdadeiro serviço de utilidade pública para a sociedade. Ao atender, gratuitamente, pessoas da comunidade, com perfil apropriado, este departamento promove, democraticamente, o acesso à Justiça e aos Direitos dos cidadãos (ãs). Em média, todos os meses, cerca de 80 pessoas recebem assistência jurídica efetiva e de qualidade de advogados orientadores e acadêmicos de Direito, estagiários da Unifoz.

O levantamento mostra, nesta projeção, o atendimento a mais de 960 pessoas todos os anos. Com este cálculo médio, somando-se quase 20 anos de atuação, mais de 18 mil iguaçuenses receberam amparo jurídico do Núcleo de Práticas Jurídicas da Unifoz, neste período. “Os princípios norteadores do NPJ são atender, sem nenhum custo, a comunidade carente, buscando a solução de conflitos, e proporcionando, ao aluno, uma formação completa, oferecendo a prática jurídica efetiva, por meio da atuação em casos concretos”, explicou a atual coordenadora Núcleo, Sueli Rosa.

Responsabilidade –
O NPJ destina-se a executar as atividades do estágio curricular, bem como as de assessoria e assistência jurídica à população carente. Com isso, atua, por meio das atividades desenvolvidas pelos alunos, na defesa dos direitos humanos fundamentais e apoio a projetos comunitários e de cidadania. Para os alunos, além da importante conscientização das suas responsabilidades com a sociedade, o estágio proporciona a associação da teoria com a prática, qualificando o acadêmico para o exercício profissional, além de promover a cidadania e educação para a concretização do Direito e da Justiça.

Formação Profissional – Os estágios têm ajudado a consolidar a futura carreira de muitos acadêmicos egressos e hoje profissionais respeitados no mercado de trabalho. No Núcleo, eles (estagiários) aprendem, literalmente, a parte prática do Direito. A advogada Tamara Geremia Melchior, bacharel em Direiro pela Unifoz, em 2015, confirma esta tese. “No ano de 2014, tive a oportunidade de prestar estágio no Núcleo de Prática Jurídica da UNIFOZ, instituição na qual me formei em 2015. O período em que estagiei foi um dos que mais me agregou em termos de aprendizado”, disse Tamara, ao completar ainda:
“No Núcleo (de Práticas Jurídicas), os estagiários têm contato direto com as camadas mais necessitadas da população, que não possuem condições de pagar um advogado para a defesa dos seus direitos. Isso desenvolve, acima de tudo, um maior trato de humanidade para com as outras pessoas, especialmente porque, via de regra, elas não costumam receber um atendimento de qualidade e respeito, qualquer que seja o segmento”. Destacou ainda a advogada que “com toda certeza, essas atividades contribuíram em muito para minha formação. Por todo o contato prático, minha aprovação no Exame da Ordem (OAB) acabou vindo antes da formação. Além do mais, aprender a estabelecer a relação de confiança com o cliente é fundamental na carreira da advocacia”.

Atendimento Agendado – O atendimento é feito com hora marcada. Para agendar é necessário comparecer ao Núcleo, que fica nas dependências da UNIFOZ, situada na Rua Tiradentes, 469, 3ª pista da JK, Centro, Foz do Iguaçu. Horário de Funcionamento: De 2ª a 6ª das 12h às 18h. Horário de Atendimento ao Público: De 2ª a 5ª das 12h às 18h. Telefone de contato é (45) 3574-2611.

A assistência é realizada visando a prática dos atos da profissão, ao mesmo tempo em que agrega a prestação de serviços de relevante valor social à população carente, sem recursos financeiros para arcar com os custos de um processo e de um advogado particular.
Atualmente, o atendimento ocorre nas áreas Cíveis/Família e Criminal. A atuação do NPJ possibilita, certamente, o acesso à Justiça e à garantia dos direitos dos assistidos, além da orientação jurídica e dos acordos extrajudiciais.

Parceria Judiciária – O NPJ-UNIFOZ promove ações de grande relevância social para o Curso, para a IES e para toda a comunidade carente de Foz. Por meio de uma parceria com o Poder Judiciário de Foz do Iguaçu, o NPJ faz cerca de 15 Defesas Criminais, mensais, àqueles acusados que respondem em liberdade. E na área cível/família, o NPJ faz o atendimento mensal de cerca de 50 a 80 pessoas, mediante serviços jurídicos que envolvem não apenas consultas, mas também o ajuizamento de medidas judiciais. Os atendimentos gratuitos do NPJ à população carente, são realizados no escritório modelo do NPJ, situado na sede da Faculdade Unifoz, em conformidade com o Regimento da Faculdade.

Conhecendo a realidade – O Núcleo de Práticas Jurídicas da UNIFOZ é responsável pela coordenação, orientação, supervisão e avaliação das atividades inerentes às disciplinas de Estágio Supervisionado do Curso de Direito e Atividades Externas.

A fim de compreender os efeitos que as instituições jurídicas exercem na sociedade, na prática, um grupo de estudantes do Curdo de Direito da Unifoz esteve realizando uma visita técnica nesta quarta-feira, dia 05/10/16 pela manhã, na PENITENCIÁRIA ESTADUAL DE FOZ DO IGUAÇU – PEF I. A visita foi coordenada pelo NPJ da Unifoz, por intermédio de sua Coordenadora Dra. Sueli Rosa.

Nesta visita os alunos tiveram a oportunidade de conhecer a realidade carcerária dos presos, conhecendo os blocos, celas, solário, local de visita familiar e intima setor de panificação. Os alunos também passaram pelo controle de entrada e saída de presos, além da sala de aula, biblioteca, consultório médico e pela sala dos advogados. Durante a visita, o Diretor da Penitenciária, Dr. William Vieira Costa Zonatto, ministrou palestra sobre o sistema penitenciário do estado. Dentre os assuntos, foram abordadas as características da Penitenciária Estadual I, seu funcionamento e sua segurança.

O objetivo foi tirar o estudante da condição exclusiva da sala de aula, e levá-lo para ver de perto algo muito presente no direito que é a questão da pena, do cumprimento de pena e de como tratar o problema do encarceramento.

Estágio Profissional – A partir do 7º semestre e até o 10º semestre, o aluno deverá cumprir as atividades descritas no conteúdo programático de atividades práticas do respectivo semestre.
Em seu conteúdo, incluem-se:
a) peças práticas a serem desenvolvidas;
b) atividades externas e/ou audiências que serão comprovadas mediante preenchimento e assinatura pela autoridade do Relatório de Atividades Externas (disponível no site);
c) comprovação de realização de Estágio, no Núcleo de Prática Jurídica da Faculdade ou em escritórios, empresas ou tribunais.
Importa ressaltar que o Estágio Profissional constitui componente curricular obrigatório, indispensável à conclusão do curso.

A não entrega das pastas em cada um dos semestres acima mencionados, ou, a entrega das pastas em desacordo com o conteúdo estabelecido, acarreta reprovação e pendência deste componente curricular.
Sendo assim, a pasta de estágio profissional deve conter todo o conteúdo acima mencionado, e, estar de acordo com o conteúdo programático de cada semestre.

De acordo com o Regulamento de Estágio Profissional, o prazo para entrega das atividades constantes no conteúdo programático é até o último dia útil do mês de maio no primeiro semestre e até o último dia útil do mês de novembro, no segundo semestre.

FacebookTwitterGoogle+Compartilhar
rogerioo-2

Juiz Rogério Cunha lança livro sobre o Novo Código de Processo Civil

O Juiz de Direito Rogerio de Vidal Cunha, que atua na Comarca de Foz do Iguaçu (PR), está lançando pela editora Juruá, de Curitiba, seu mais novo livro, “Manual da Justiça Gratuita” onde aborda o benefício de isenção de despesas processuais com base no art. 98 do Novo Código de Processo Civil.

rogerioEsse é o quarto livro lançado pelo magistrado, e o terceiro sobre o novo CPC, e na obra ele enfrenta de forma exauriente todas as nuances do instituto da justiça gratuita, desde o seu deferimento até os recursos cabíveis contra a decisão que indefere o benefício.
Segundo o próprio autor “o objetivo da obra é enfrentar os principais temas debatidos no dia a dia da vida forense sobre o instituto da justiça gratuita, especialmente as dúvidas surgidas com a vigência do novo Código de Processo Civil.”
O lançamento oficial do livro ocorrerá em Foz do Iguaçu e Curitiba em datas a serem marcadas pelo autor, mas a obra já está à venda no site da Editora Juruá (www.jurua.com.br) ao preço de R$ 57,00.

palestra-ilustre

Unifoz recebe palestra do Dr. José Aparecido

A Unifoz recebeu nesta quarta-feira (29) a palestra do Dr. José Aparecido, ilustre e renomado Juiz do Trabalho em Curitiba. Alunos e professores que estiveram presentes receberam uma aula, não apenas de Direito Processual do Trabalho, mas SIM de Direito Constitucional, Processual CIVIL e principalmente uma lição de Vida. Dr. JOSÉ APARECIDO relembrou com alegria a época em que lecionou na UNIFOZ e reiterou de forma carinhosa o respeito que tem por nossa instituição. O encontro com atuais professores da UNIFOZ com aquele que outrora lecionara para então alunos e hoje professores foi regado de muita gratidão e principalmente ORGULHO desta instituição. Parafraseando as palavras do Dr. José Aparecido ….. A UNIFOZ faz com Excelência aquilo que se comprometeu a fazer…. formar profissionais com qualidade. Obrigadaaa Dr. JOSÉ…. Pelosi valiosos ensinamentos e pelo carinho com a UNIFOZ….Agradecimento especial a professora Soraya Sotomaior Justus que viabilizou essa palestra edificante para nossos queridos alunos.

jamila-correta

Coordenadoras da Unifoz particiam de Encontro Estadual de Direito

Nossas queridas e competentes professoras Jamila Gomes (coordenadora do curso de Direito) e Dra. Sueli Rosa, coordenadora do Núcleo de Prática Jurídica da Unifoz, participam, em Curitiba, do I Encontro Estadual dos Coordenadores de Curso de Direito e de NPJs do Paraná, organizado pela OAB Paraná (Ordem dos Advogados do Brasil).

O evento, nos dias 23 e 24 deste mês, promete debater horizontes da formação jurídica profissional e estabelecer uma interface acadêmica e cultural entre profissionais e várias instituições relacionadas ao mundo do Direito.
Na foto, as coordenadoras, que certamente voltarão da capital com um valioso apanhado de informações colhidas no evento, aparecem ao lado do Dr. Marisvaldo Cortez Amado, presidente da Comissão Nacional de Educação Jurídica do Conselho Federal da OAB.

A Unifoz, direção, colaboradores e acadêmicos desejam as nossas coordenadoras um excelente e produtivo Encontro, ampliando o know how na área e o próprio networking, fundamentais para o exercício do Direito na sociedade contemporânea.

mansur-2

Philipe Mansur conversa com acadêmicos da Unifoz

O candidato à prefeito de Foz do Iguaçu , Phelipe Mansur, visitou a Unifoz, nesta quarta-feira (21) quando falou sobre suas propostas de trabalho para a cidade, aos acadêmicos do 6º período de Direito, acompanhados pela professora Juliana Fava. Mansur também respondeu várias perguntas formuladas pelos alunos sobre suas ideias para o governo municipal. Na ocasião, o candidato fora recebido pela diretora Geral da Unifoz,, Silvia Araujo, o diretor Administrativo, Ederson Dalpiaz , pela coordenadora do Curso de Direito, Jamila Gomes,e pela Assistente da Direção, Professora Camila Bugallo.

img-20160906-wa0001-copy

Acadêmicas lançam produto de sucesso no mercado alimentício

Elas entenderam e aplicaram, na prática, o sentido de empreender transmitido pela disciplina de Novas Tecnologias e Inovações, do curso de Administração da Unifoz. A partir do conhecimento e do desafio de lançar um novo produto no mercado, as amigas e acadêmicas Lorrana Sobral, Tais Gresele e Franciele Lucena apresentaram, na última edição da tradicional Feira de Novas Tecnologias e Negócios da Unifoz, ocorrida em maio, o delicioso Azaminoff.

Diferente dos produtos observados no mercado, o Azaminoff é o preparo de um delicioso strogonoff (de carne ou frango) servido no miolo de pão italiano com tamanho e gosto personalizados por uma padaria parceira das meninas. A iguaria caiu no paladar das pessoas respaldando e fortalecendo a empresa Cantinho Dazamigas, cujo nome demonstra a união e a empatia das três acadêmicas com o público.

Neste cenário, as empreendedoras consolidaram uma espécie de networking interessado no Azaminoff, formado por amigos e amigas, colegas de faculdade, familiares e população em geral. Por enquanto, a produção se restringe aos sábados, no horário do almoço, com as entregas feitas das 11h30 às 13horas. “Divulgamos durante a semana a produção do sábado. A demanda está cada vez mais crescendo, com uma média de 100 pedidos por sábado”, disse Lorrane, ao completar que, “devido as outras atividades das acadêmicas, ainda não conseguem disponibilizar todos os sábados, por enquanto, para oferecer o produto”.

A promoção prévia é feita basicamente por grupos de Whats Up, no Facebook e em panfletos distribuídos na faculdade. No plano de negócios, a ideia é ampliar a produção ainda, de modo gradativo, oferecer novos sabores e, quem sabe, abrir uma sede própria e comercial para receber as pessoas, pois, no momento, o Azaminoff é elaborado na casa de uma das amigas, de onde são feitas as entregas quando necessário.
Vale destacar que os valores do Azaminoff são bem acessíveis e garantem uma refeição consistente. O sabor carne custa R$ 12,00 e o sabor frango custa R$ 10,00. Quem quiser mais informações ou fazer pedidos, pode entrar em contato na página https://www.facebook.com/Cantinhodazamigasfoz/ ou pelo whats: 8816-9831

aurea

Alunos assistem palestra “Nós os Diferentes – Retratos da Beleza de Cada Um”

Agora há pouco, (sexta-feira, 2) a jornalista e fotógrafa Áurea Cunha fez uma apresentação positiva e ,sobretudo, subjetiva aos acadêmicos do 9º e 10º períodos do curso de Direito da Unifoz, sobre a Exposição “Nós, os Diferentes – Retratos da Beleza de Cada Um”.
Bastante interativa, a palestra ou “bate-papo entre amigos’, como a jornalista denominou o evento, trouxe diversas questões aos alunos sobre a beleza interior de cada um, a “ditadura da beleza” atribuída à sociedade contemporânea e a relação de beleza consigo, num entendimento mais profundo, o amor próprio ou destinado a si mesmo.

Na conversa, mediada pela professora Jamila Gomes, coordenadora do curso de Direito da Unifoz, a fotógrafo Áurea Cunha exibu vários retratos dos 25 personagens, em slides, que compõem a exposição, atualmente instalada no saguão principal da Unifoz, após passar pela Fundação Cultural de Foz do Iguaçu, amparada pelo Fundo Municipal de Cultura de Foz do Iguaçu

14063793_264598630600051_8820877428294398557_n - Copy

Unifoz e PEFI assinam convênio para estágios voluntários

Mais uma conquista da Unifoz foi concretizada esta semana. A faculdade firmou um excelente convênio com a Penitenciária Estadual de Foz do Iguaçu (PEFI) para estágios voluntários no Conselho Disciplinar da Unidade. Na foto, a diretora Geral da Unifoz, Silvia Helena Araujo, o diretor Acadêmico, Luiz Francisco Marchioratto, assim como o diretor Geral da PEFI, professor Willian. O compromisso foi assinado na Unifoz com a presença ainda da coordenadora do curso de Direito, Jamile Barreto e da coordenadora do Núcleo de Prática Juridica da faculdade.
Os interessados devem no estágio devem procurar o Núcleo de Prática Jurídica da Unifoz. Sucesso total!!!

teste

Tese finalista do Prêmio Innovare propõe melhorias na Ouvidoria do Município

A tese “Ouvidoria de Saúde como Mando Protetivo do Cidadão no SUS”, elaborada pelo acadêmico do 6º período Direito da Unifoz, Roberto Schinemann (52 anos), foi classificada para a seleta final da 13ª edição do Prêmio Innovare, lançada pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ). O Prêmio Innovare tem como objetivo o reconhecimento e a disseminação de práticas transformadoras que se desenvolvem no interior do sistema de Justiça do Brasil, independentemente de alterações legislativas.
De 10 mil trabalhos enviados ao concurso, apenas 50 foram classificados para a grande final, cujo resultado será divulgado em dezembro. Para seguir na disputa, o projeto de Schinemann passou por algumas criteriosas avaliações, incluindo visitas técnicas da equipe do Innovare à Foz do Iguaçu para analisar a viabilidade da proposta. “Veio uma equipe de São Paulo que verificou a real possibilidade de implantação da minha tese antes de passar para outra fase do concurso”, disse o pesquisador.
Proposta – Basicamente, o projeto de Roberto Schinemann consiste em melhorar a qualidade e a estrutura de atendimento da Ouvidoria em Foz do Iguaçu e, consequentemente, em outras cidades do Brasil, que mantém o serviço, vinculado ao Sistema Único de Saúde. A ideia ainda é alterar o horário de atendimento da Ouvidoria, passando do horário comercial para 24 horas

As melhorias passam, de acordo com a tese do acadêmico, que já atuou como ouvidor do município, pelo aumento do número de servidores para o atendimento à população, maior número de viaturas para a logística de deslocamento até as unidades solicitantes, além do aumento substancial de recursos destinados às ouvidorias.

Contexto – Para mensurar e quantificar a demanda, Roberto Schinemann analisou dados, custos e sustentou o todo o projeto em bases legais. “Tudo o que fiz foi amparado nas leis, na legalidade, no aprendizado sobre legislação que tive aqui na Unifoz e também na minha experiência prática quando trabalhei como ouvidor do município”, destacou o acadêmico. Hoje, para contextualizar o cenário em Foz do Iguaçu, cidade que deu base para o desenvolvimento da tese, apenas um ouvidor e dois técnicos são responsáveis por todo atendimento da população, com reclamações e demandas provenientes de hospitais, unidades, postos e outros estabelecimentos de saúde. Em média, são encaminhadas à Ouvidoria do Município, cerca de 350 pedidos ou reclamações por mês para serem analisadas por um quadro ínfimo de servidores.

Alto nível – Os recursos destinados para a manutenção da instituição na cidade, não ultrapassa R$ 40 mil, quando, segundo a análise de Schinemann, seria necessário montante na ordem de R$ 300 mil mês para qualificar em alto nível o atendimento. “Falta recurso, faltam servidores, fala viatura para o deslocamento até os locais de onde provém as reclamações, falta estrutura interna (não existe hoje, por exemplo, uma sala separada na sede da Ouvidoria do Município, para atendimento separado de casos específicos que exijam mais privacidade à “vítima” para apresentar sua reclamação), detectou, complementando, ainda, que se torna inviável ou impossível, para o atual quadro de servidores atender toda a demanda e atender com qualidade as reclamações da população quanto ao Sistema Único de Saúde.

Aprendizado – Quanto ao resultado parcial do concurso, Roberto Schinemann considera já uma grande conquista chegar à final e que o melhor resultado possível seria a implementação destas melhorias no serviço. Além disso, agradece, em especial, à Unifoz, “que me deu a oportunidade do conhecimento sobre as leis e até mesmo como abrir um processo administrativo contra qualquer funcionário, tudo pautado na lei e no que aprendi”.

aurea

Unifoz recebe exposição “Nós, os Diferentes – Retratos da Beleza de Cada Um”

A Unifoz recebe, desde a última semana, a exposição “Nós, os Diferentes – Retratos da Beleza de Cada Um”, assinada pela fotógrafa e jornalista Áurea Cunha. Resultado da reunião de 26 retratos de moradores de Foz do Iguaçu (PR), conhecida por receber pessoas de todo o mundo, a mostra chama a atenção para as particularidades de cada um e rebate a ideia da beleza ocidental considerada padrão.
Tal experiência teve reflexos sobre a própria autora que, ao se deparar diante dos retratos e ao entrevistar os fotografados passou a questionar como via a própria imagem. “Ouvi várias histórias, de pessoas que se aceitam muito bem como são e também de outros que, como eu, estão encontrando sua beleza essencial”, lembra Áurea.

Procurando ainda a melhor definição para o que é beleza, a fotógrafa visitou obras de poetas, filósofos gregos e em autores mais contemporâneos e concluiu que o belo está no ser diferente e, por isso, único, onde não pode haver comparações.
A opinião é compartilhada por vários dos retratados. Todos foram questionados sobre o que acreditam ser a beleza. A maioria a definiu como algo que é refletido do interior, que depende da estimulação da autoestima e que está além do visto exteriormente.
“Quando eu era pequeno, minha mãe sempre falava: vem cá meu bonitinho. E eu aprendi com ela a ser bonito”, lembra o motorista aposentado Adão Rodrigues, de 85 anos. “Mesmo tendo cegueira total, quando eu era criança tocava meu rosto e percebia que tudo combinava. Isso só pode ser beleza!”, completa a auxiliar administrativo Roseli Evangelista, de 45 anos.

Na produção dos retratos, Áurea levou em conta a diversidade das origens da população iguaçuense e buscou mesclar imagens que ressaltem características físicas, sociais e idades diversas a fim de lhes dar visibilidade.
A fotógrafa explica que o trabalho não visa o ‘diferente’ no sentido exótico e nem excludente, mas no sentido real, já que todos são diferentes e belos por serem únicos.

E, para quem visitar a mostra, a ideia é que possa fazer uma reflexão sobre como vê a si, como lidam com a própria imagem e, principalmente, encontrar ou reconhecer a própria beleza. “Com esta experiência também passei a querer achar a minha própria beleza. Estou em um processo de aceitação e de melhoramento da minha auto imagem”, destaca Áurea.

A exposição fotográfica é resultado de um projeto aprovado para execução com recursos do Fundo Municipal de Cultura, gerenciado pela Fundação Cultural de Foz do Iguaçu em conjunto com o Conselho Municipal de Políticas Culturais. “Nós, os Diferentes’ também recebeu o apoio da Subseção Foz do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Paraná.
Em contrapartida ao patrocínio oficial, Áurea Cunha realizou quatro oficinas de fotografia em três instituições de educação de Foz do Iguaçu: uma para crianças, na Escola Municipal Padre Luigi, na Vila C, outra para adolescentes, no Colégio Estadual Três Fronteiras, no Porto Meira, e duas para alunos especiais da Apae.